3 de dezembro de 2010

Desdém

Você joga o olhar no horizonte, em busca de alvo qualquer. Mas é meu formoso caminhar que teus olhos não conseguem deixar de acompanhar.
Atira seu veneno ácido e barato em mais de um frasco, mas é comigo que tenta gastar o raro mel.

23 de novembro de 2010

Sou

Sou aquele lugar que só Deus conhece cada espaço vazio, cada tumulto, cada rua. Sou aquilo que sinto, que choro, que temo, que quero, que almejo, que espero de ti.  Sou o redemoinho de uns dias e a calmaria de outros. Sou tudo o que admiro, tudo o que acho de bom tom. Mas também sou o que não ainda não consegui me livrar e os defeitos que adquiri.

26 de outubro de 2010

Deixei o samba morrer

Você me deu tudo o que eu queria e precisava. Todo carinho, atenção, valor. E aí, me apaixonei. E como me apaixonei. Neste momento, a graça acabou pra você. O troféu estava ganho. Sua estratégia dera certo.
A ginga malandra levada por falsa sensibilidade venceu mais uma vez e virou samba. E quem dançou foi meu coração. O coitado acreditou que a música vinha de uma orquestra. Mas era só um pandeiro muito bem tocado, nas primeiras notas musicais, é claro. Logo logo, a técnica se esvairia.

7 de outubro de 2010

Curta distância

Quero tua pele respirando fogo,
eriçando teu pêlos.

Quero a falta de teu fôlego,
tua voz embargada,
tuas palavras engasgadas.

2 de outubro de 2010

Novos rumos, novos ares, novo quadro.


Um bom tempo se passou desde que fui obrigada a abandonar viagem. Naveguei pelos teus encantos, pelos nossos momentos de “amor perfeito”. Naveguei apreciando lindas e inéditas paisagens arrematadas por belíssimos céus, ora pôr, ora nascer do sol. Impossível escolher o mais bonito.
Não contesto os planos perfeitos de Deus. Mas acho que teria sido mais fácil pra mim, se eu não tivesse gostado tanto de você a ponto de buscar e encontrar pretextos para gostar ainda mais. Além de meus sorrisos mais lindos, meus melhores beijos e meus mais afetuosos carinhos, quis te dar o melhor de mim, para te ajudar a ser sempre o melhor de você. Não para que eu ficasse ainda mais apaixonada, mas para que você fosse ainda mais feliz.
Ainda assim não me arrependo. Jamais.

1 de outubro de 2010

Meu futuro grande amor,

garanta-me que compartilharás da mesma visão que eu tenho sobre o amor.
Que terás a certeza de que Deus nos escolheu um para o outro. Que sempre amarás mais a Ele que a mim. E que isso não será da boca para fora. 
Que quererás mais que um flerte artificial, que quererás ser meu cúmplice, minha companhia, meu porto seguro, minha fantasia real de amor verdadeiro. Que me entregarás cada um de teus medos, desejos e planos. Que serás ávido de meus sentimentos, mas agirás com destreza e direção Divina a fim de tê-los.

26 de setembro de 2010

Universo que chamo de eu.

Sigo o meu caminho coberto de desejáveis broches que podem enfeitar meu retrato. Quero ser a face do mistério, a Monalisa aparentemente inalcançável vestida com uma máscara de beleza a la Afrodite.
Posso mostrar uma faceta nova e fascinante a cada dia, a quem estiver disposto a andar com a mão entrelaçada à minha.
Sou "santa", porque essa é a minha escolha. Consequência da maior e mais certa escolha: viver para adorar o Senhor.

19 de setembro de 2010

Sonho de menina

                                
O mundo é cheio de coisas ruins e que nos fazem sofrer. Basta olhar em volta e perceber. Mas hoje eu me permito, hoje, só hoje. Pode ser que esse “dia” dure por muito tempo ou para sempre. Deus sabe. Hoje facilmente eu me permito dizer que a pior coisa que existe é ter você literalmente ao meu lado e não poder correr e estar em seus braços. Poderiam me tachar de fútil, exagerada, mimada, ou como alguém que só enxerga o próprio umbigo. Não ligaria, não ouviria. 

10 de setembro de 2010

Estávamos caminhando juntos, lado a lado. E era tão bom... O sorriso estava estampado na cara. Era impossível esconder, dizer que não.
Mas aí, de repente, você largou minha mão, virou-se e pôs-se a andar. As lágrimas rolaram pelo meu rosto com a força de uma queda d'água. Indomáveis.

8 de julho de 2010

Amor em "carne e osso"

Ahhh... como é bom ficar juntinho juntinho, abraçada contigo. Abraçada a ponto de você sentir os passos apressados do meu coração. E você sente, sempre sente meu nervosismo. E age como se ignorasse meu jeito encabulado, me puxando para ainda mais perto de ti, de forma impetuosa. Eu gosto, como gosto.

12 de junho de 2010

6 de maio de 2010

Em segredo mergulho num oceano de águas profundas e esverdeadas: os olhos teus.
Tento ouvir teu silêncio, tuas palavras trancadas.
E como se fosses um livro, desejo abrir tua capa, virar tuas páginas, conhecer teus mistérios que tanto me encantam...
E depois de ler-te e reler-te...Cada coisa ao seu tempo; nada de atropelos; nada de apertar o passo...
Talvez imprimir minha letra em suas entrelinhas. Estar em suas gravuras pintadas à mão, com tanto cuidado, com tanta ternura. Ter meu nome descrito em seus últimos escritos como seu mais novo final feliz.
Ai, então: despertar teus mais belos sorrisos. {E que eles sejam meus, só meus.}
                Silenciar contigo.
                Beijar tua face mais doce, ou a face mais tua.

24 de abril de 2010

12 de abril de 2010

O prazer de uma noite em claro

O tempo corria solto e o sono não vinha. A madrugada foi embalada por momentos emocionantes de um pequeno e antigo livro: "Meu Pé de Laranja-Lima", José Mauro de Vasconcellos. As páginas acabaram-se. Levantei-me. Vi um raio de luz entrar pela janela. Fui até a varanda, para ver o sol nascer... Pena! A rua estava molhada e o céu coberto por nuvens. O cheiro de orvalho estava no ar.
Não vi o sol surgir no horizonte com a mesma intensidade de um dia de calor. Ainda assim era a beleza viva de mais uma manhã...

15 de fevereiro de 2010

Nossos corações serão arrebatados mutuamente. Esforços serão desnecessários.
E tudo será doce como mel, belo como flor, mas com a essência da aventura, do acaso.

Amor, apenas me diga:
quem é você? Descreva-me a tua face.
em qual curva da vida cruzarás meu caminho?

Nas entrelinhas dos meus sentimentos te espero com toda a certeza de que você existe. Ora, a calmaria paira, ora a ansiedade a rouba.

12 de fevereiro de 2010

Foi mágico...

...quando nossos olhares se encontraram. Tudo fez-se silêncio. O mundo resumia-se ao espaço que havia entre nós. O sorrir inevitável, a admiração instantânea. Foi inesperado e tão perfeito. As flores caíam do céu em uma inconsciente ilusão. Era como se tudo e todos deixassem de existir naquele instante. Aquele vazio anterior foi preenchido por um conjunto de sensações indescritíveis, inexplicáveis. O coração batia devagar, com toda a voracidade que lhe era oferecida. O amor deu as caras por um segundo. E o único desejo era que fosse eterno, aquele momento de puro êxtase...

6 de janeiro de 2010

Amor de infância

Não sei como começar. Apenas senti a necessidade de escrever sobre o que sinto, ou senti. O silêncio enlouquece.
Te conheço há anos, faço-te admirar-me há poucas palavras.
Gostei muito de você, talvez tenha te amado.
A euforia passou, a paixão acabou, mas talvez ainda te goste, ainda te ame. Mas com toda a serenidade que antes desconhecia. Serenidade expressa até na saudade que sinto de ti, que está sempre presente, mas não me atormenta.